Museu do Cartão de Crédito

22/05/2019 - Saque e Pague aposta em modelo de agência bancária compartilhada

« Voltar

VALOR

Por: Flávia Furlan 

Inspirada no mercado bancário mexicano, a rede gaúcha de caixas eletrônicos Saque e Pague vai lançar uma agência física que poderá ser usada por seus 22 parceiros, entre eles bancos médios, fintechs e carteiras digitais. "O conceito é de uma agência que não serve a apenas uma instituição financeira. Será como no México, onde os bancos compartilham essas estruturas", afirma o presidente da Saque e Pague, Givanildo Luz.

A Saque e Pague foi fundada há oito anos por Ernesto Corrêa da Silva Filho, empresário gaúcho que criou a credenciadora de cartões Getnet e a vendeu em 2014 para o Santander. No ano passado, o banco espanhol comprou a fatia remanescente da credenciadora, correspondente a 11,5% do total, por R$ 1,431 bilhão.

Na Saque e Pague, o Grupo Corrêa da Silva tem uma fatia de 60%, enquanto o restante é da empresa de tecnologia Stefanini. Capitalizado com a venda da fatia remanescente da Getnet para o Santander, o empresário deve alavancar o crescimento da empresa de autoatendimento.

Até agora, a Saque e Pague mantinha apenas o modelo de compartilhamento de caixas eletrônicos. É o mesmo da Tecban, dona da rede Banco24Horas, criada pelos grandes bancos do país, mas com um diferencial: o cliente pode sacar dinheiro ou fazer depósitos e, a partir do momento em que o recurso entra no caixa, ele é de responsabilidade da Saque e Pague. Por isso, varejistas pagam para ter os terminais, vistos como um "cofre" dentro do estabelecimento comercial.

Com base nesse modelo, a rede gaúcha conseguiu alcançar R$ 2 bilhões de movimentação por mês, em 1.300 terminais instalados em 230 municípios do país, sendo que em 80 deles é a única opção de terminal de autoatendimento. Em 2018, a empresa faturou R$ 91 milhões, um valor 35% superior ao identificado no ano anterior.

A operação no México foi iniciada em 2018, com investimento inicial de U$$ 4 milhões e uma meta de terminar 2019 com 100 terminais. A empresa vai operar no conceito "switch nacional", que permite conectar bancos automaticamente à rede de autoatendimento. Atualmente, são 40 instituições bancárias mexicanas cadastradas.

Nas agências compartilhadas, a marca será a da Saque e Pague e os parceiros pagarão uma taxa por transação realizada pelo seu cliente. A primeira agência, totalmente automatizada, será na avenida Faria Lima, em São Paulo, com previsão de lançamento no segundo semestre. O investimento será de R$ 1 milhão. No ambiente, haverá caixas com capacidade para emitir cartões e cheques, realizar videoconferências com atendentes, receber depósitos, além de saque, pagamento e consulta a saldos.

Essa foi a forma encontrada pela Saque e Pague de participar do sistema de inovação, unindo-se a carteiras e bancos digitais, para que os usuários desses sistemas possam sacar ou depositar valores. Poderão usar a agência clientes de bancos como Banrisul, Banco do Nordeste do Brasil e BMG, e também dos digitais Banco Inter e Agibank.

Segundo o diretor de inovação e expansão da Saque e Pague, Nori Lermen, essas agências permitirão ainda que grandes instituições financeiras estejam presentes no interior, sem a necessidade de instalação de agência própria. Por outro lado, pequenas instituições ou "fintechs" poderão estar presentes fisicamente em grandes centros para se relacionar com os clientes.

Preencha os campos ao lado e receba nossas notícias:

Rua Visconde do Rio Branco, 1488 - 18º andar – Centro – Curitiba/PR

© 2012 Museu do Cartão - Todos os direitos reservados - Powered By Totalize Internet Studio