Museu do Cartão de Crédito

03/12/2018 - Bandeiras reforçam segurança e buscam outros mercados

« Voltar

VALOR 

Por: Martha Funke

Reforço das tecnologias sem contato e da segurança para pagamentos sem senha, estímulo a novos segmentos de mercado e à substituição do dinheiro são alguns dos esforços das bandeiras para acelerar o crescimento dos meios de pagamentos eletrônicos.

A Mastercard estima que os pagamentos por aproximação, estimulados pelas carteiras próprias dos smartphones, cresceram 344% entre o segundo semestre de 2017 e o primeiro semestre de 2018. O número de transações deve crescer 20 vezes este ano. Além do parque com 75% das maquininhas preparadas para pagamentos sem contato, o movimento se apoia em avanços na autenticação, que contribui ainda para maior uso do cartão de débito em áreas como e-commerce.

Este ano, a Visa adotou nova plataforma, com protocolo capaz de reunir mais informações para validar o cliente e autorizar a transação. "Em 2019 veremos o aumento da aceitação de débito da internet", diz o country manager Fernando Teles. No caso da Mastercard, o conjunto inclui inteligência artificial e biometria para aumentar a assertividade no reconhecimento dos usuários.

A Elo, que terminou em 2017 o desenvolvimento de um novo sistema, está lançando software antifraude com avaliação em tempo real baseada em rede neural adaptativa, capaz de pré-testar políticas com base em dados reais. Também apresentou kit para internet das coisas (IoT), com hardware e conectores de software (APIs) para montagem de dispositivos.

Para estimular o uso dos meios eletrônicos, a Visa encomendou o estudo "Cidades sem dinheiro em espécie", realizado pela Roubini ThougtLab em 100 cidades ao redor do mundo, incluindo São Paulo (SP) e Brasília (DF), onde o benefício somado decorrente da substituição de outros meios chegaria a US$ 13 bilhões. O relatório mostra que a perda de receita devido a roubos, dinheiro falso e falta de fundos em caixa registradora alcança 9% nas empresas sediadas em São Paulo, contra média de 4%.

O trabalho embasou o projeto Cidade do Futuro, com ações de aproximação com governos e estabelecimentos em parceria com adquirentes, emissores, processadores, facilitadores e startups para apoiar a expansão regional, já que mais de 60% das transações eletrônicas concentram-se no Sudeste. No primeiro momento, o programa foi levado a Belém (PA), Maringá (PR) e Campina Grande (PB). Em uma segunda fase chega a 197 municípios, divididos em 15 lotes.

Aquisições e parcerias também compuseram a pauta da Visa em 2018. A empresa fez seu primeiro investimento local, em participação minoritária na processadora Conductor. Regionalmente, fechou parceria com a YellowPepper, fornecedora de soluções que chegará em breve ao país em parceria com a bandeira para viabilizar soluções dos emissores.

Outro destaque foi a aliança com a Credz, bandeira especializada em private label que atende 40 varejistas. A união das bandeiras agrega mais de 1 milhão de cartões à Visa e rende maior aceitação nacional, internacional e no e-commerce para a Credz, diz José Renato Borges, presidente da Credz.

A Mastercard, por sua vez, avançou em áreas como transportes, com iniciativas como uso de cartões sem contato nos ônibus de Jundiaí (SP), o lançamento do Cartão + Cidadão em parceria com Banco de Brasília (BRB) e a Secretaria de Mobilidade do Distrito Federal e solução para pagamento de pedágios, com Santander.

O CEO João Pedro Paro Neto destaca ainda o surgimento de novos clientes e adquirentes, como o banco digital C6Bank e Crefisa, a consolidação de pagamentos em aplicativos como Uber e novas formas de expansão, como cartões para pequenas e médias empresas lançado pela Porto Seguro Cartões. "Vimos anda a maior presença do regulador no segmento, com definições como regras de liquidação para subadquirentes e registro de marketplaces nas bandeiras", diz.

Na Elo, o sistema mais flexível ajudou a dobrar o número de credenciadores. Hoje são seis, com perspectiva de chegar a 12 em 2019, diz o presidente Eduardo Chedid. Um exemplo foi o prazo de dois meses para colocar no ar a operação das Casas Pernambucanas no fim do ano passado. "Em dez minutos o cliente recebe o cartão com chip na loja", afirma. Em novembro a bandeira passou a emitir cartões Diners, com benefícios como pontos extras, chip de viagem e traslados para aeroportos para atrair o cliente de alta renda.

 

Preencha os campos ao lado e receba nossas notícias:

Rua Visconde do Rio Branco, 1488 - 18º andar – Centro – Curitiba/PR

© 2012 Museu do Cartão - Todos os direitos reservados - Powered By Totalize Internet Studio