Museu do Cartão de Crédito

23/07/2018 - As oportunidades dos pagamentos móveis para lojistas e consumidores

« Voltar

ADMINISTRADORES 
 

Depois de anos de expectativas, finalmente chegou ao Brasil o ApplePay, sistema que é uma carteira virtual, também conhecida como e-wallets, em que o usuário cadastra seu cartão de crédito em celulares e outros dispositivos e pode utiliza-los para fazer compras em lojas físicas ou virtuais.

Os brasileiros, receptivos as novas tecnologias, ficaram empolgados e começaram a fazer cadastros no novo sistema de pagamento móvel. As e-wallets tornam o processo de pagamento muito mais fácil nas compras recorrentes como táxi, restaurante, ingressos, sem a necessidade de dinheiro e do próprio cartão físico, e para o comércio eletrônico, oferecendo mais segurança e comodidade.

Os maiores beneficiados com a chegada destes sistemas de pagamento móvel não são apenas os consumidores, mas também os lojistas, pois encontram um cenário ideal para expandir seus negócios aceitando este método de pagamento. Isso porque os modelos atuais de smartphone já possuem a tecnologia de aproximação NFC (near field communication) necessária para esse tipo de transação. Além disso, cerca de 80% das 4,4 milhões de máquinas no país estão habilitadas para transações por aproximação, segundo dados da Associação Brasileira de Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (ABECS)1.

Outra vantagem dos sistemas de pagamento móvel para o lojista é a segurança. Segundo o estudo Mobile Payment Journey1, da Worldpay, dois terços dos brasileiros (63%) se sentem confortáveis em fornecer dados biométricos, como impressões digitais ou reconhecimento facial, se além de adicionar uma camada a mais de segurança, tornar o processo de pagamento mais rápido.

O processo de cadastro dos cartões de crédito é bem simples e as empresas responsáveis garantem que não arquivam os números dos cartões e que os lojistas também não têm acesso às informações. Para evitar o roubo de dados, tudo é criptografado e, ao final, o usuário deve ainda usar um leitor biométrico, a fim de autenticar a compra. Todo esse sistema faz com que o lojista não precise se preocupar se o cartão é mesmo do consumidor nem solicitar documento de identificação já que, ao contrário das senhas, não é possível copiar impressões digitais.

As empresas têm agora como atrelar os pagamentos digitais a outros recursos e conquistar mais clientes. Por exemplo, aliar a forma de pagamento digital a programas de fidelidade e, a cada compra, o consumidor acumula pontos que podem se reverter em descontos nos produtos, aumentando a frequência do público nas lojas e gerando uma receita ainda maior.

Soma-se a isso outro dado importante da pesquisa da Global Payment Journey3 , da Worldpay, afirmando que as e-wallets representam atualmente 12% do mercado, fazendo com que sejam um dos meios de pagamento com maior crescimento e adoção por parte dos consumidores, ao mesmo tempo em que os cartões de crédito deverão registrar queda no uso até 2020.

Para os lojistas, investir em opções de pagamento móvel é essencial para a sobrevivência do negócio. Se o cliente for adepto a novas tecnologias, ele vai procurar estabelecimentos que ofereçam essa experiência. Seja qual for o cenário, investir em inovação demonstra profissionalismo e atenção às expectativas do cliente cada vez mais conectado.

 

Preencha os campos ao lado e receba nossas notícias:

Rua Visconde do Rio Branco, 1488 - 18º andar – Centro – Curitiba/PR

© 2012 Museu do Cartão - Todos os direitos reservados - Powered By Totalize Internet Studio