Museu do Cartão de Crédito

30/03/2017 - Cartão BNDES será aceito em plataforma da B2W

« Voltar

Por Francisco Góes | Do Rio | Valor Econômico

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está dando um primeiro passo no caminho de se tornar um banco digital. O banco fechou parceria com a B2W, maior plataforma digital do Brasil controlada pela Lojas Americanas, para permitir a utilização do cartão BNDES como meio de pagamento em um site de vendas corporativas da companhia www.b2wempresas.com.

Nessa plataforma da B2W, o usuário do cartão BNDES passa a fazer compras 100% online, pagando com o cartão. O acordo já está em vigor. A B2W reúne marcas como Americanas.com, Submarino, Shoptime e SouBarato, além do b2wempresas, plataforma à qual o cartão BNDES vai se ligar em um primeiro momento. No total, a B2W tem 13 milhões de clientes ativos e, no ano passado, contabilizou R$ 13 bilhões em transações. 

Hoje, no Portal do BNDES, o usuário do cartão identifica os produtos e serviços de seu interesse cadastrados, mas precisa ir até o fornecedor para fechar a compra. O cartão dá acesso a um limite de crédito de até R$ 2 milhões por ano. A parceria vai dar maior visibilidade ao cartão BNDES, uma vez que ele estará disponível como meio de pagamento na plataforma da B2W. O cartão continuará a ser emitido pelos agentes financeiros do BNDES, mas existe a possibilidade de emissão, no futuro, pelos próprios parceiros digitais.

Maria Silvia Bastos Marques, presidente do BNDES, disse ao Valor que a parceria com a B2W é uma iniciativa tão importante quanto foi o lançamento do cartão, em parceria com o Bradesco, em 2003. "O cartão é um grande sucesso, mas precisava passar por uma modernização", afirmou. Ela disse que, embora o cartão seja um instrumento importante em um momento de crise como o atual para permitir acesso a crédito por micro, pequenas e médias empresas, o sistema estava um tanto "engessado", sem flexibilidade. As conversas com a B2W começaram em outubro do ano passado.

Fabio Abrate, diretor financeiro e de relações com investidores da B2W, disse que a parceria com o BNDES começa com um universo de cerca de 300 produtos que estarão disponíveis aos usuários do cartão na plataforma para pessoas jurídicas da B2W. Esse número deverá ser ampliado de forma gradual. Segundo Abrate, a parceria será boa tanto para os detentores do cartão BNDES, que terão mais uma plataforma para fazer suas compras, como também para os clientes da B2W, que podem se interessar pelo cartão do banco como meio de pagamento.

Maria Silvia disse que a parceria com a B2W é apenas a "ponta do iceberg" na transição do banco para o mundo digital. A essa iniciativa vão se seguir outras, incluindo novos acordos com outras plataformas digitais de comércio eletrônico. O BNDES prevê ainda o lançamento de um portal de negócios, que incluirá os produtos automáticos do banco, como Finame e Progeren, contratados via agentes financeiros. No portal, o cliente poderá identificar o produto que se adequa a suas necessidades.

O banco também está desenvolvendo soluções tecnológicas que vão permitir simplificar e reduzir os prazos de concessão de crédito para micro, pequenas e médias empresas, universo no qual se inserem companhias com faturamento bruto anual de até R$ 300 milhões. A partir de junho, o BNDES passará a aprovar essas operações automáticas em um dia, ante um prazo que hoje fica entre 5 e 30 dias, podendo chegar a 60 dias, disse Ricardo Ramos, diretor da área de operações indiretas do banco. Esse prazo não considera a parte do processo que cabe ao agente financeiro.

O BNDES também vem conversando com fintechs, empresas de tecnologia de serviços financeiros, para distribuir produtos do banco. O objetivo é garantir maior capilaridade às linhas do BNDES, mas ainda não há acordos firmados. Ramos disse que o BNDES discute com fintechs no Brasil a possibilidade de fazer leilões reversos de crédito via plataformas digitais. Por esse instrumento, a fintech identifica a necessidade de uma empresa para capital de giro, por exemplo, e os bancos oferecem as linhas de crédito via uma plataforma digital. Para o BNDES, esse tipo de solução tende a aumentar a competitividade do setor bancário e reduzir os custos financeiros para o cliente final.

Segundo Ramos, o banco trabalha para fazer uma "convergência digital", com foco nas micro, pequenas e médias empresas. Nesse processo, em fevereiro, o banco já havia lançado um aplicativo móvel chamado BNDES MPME. Também existe o plano de oferecer o cartão BNDES para pessoas físicas do agronegócio no segundo semestre, para permitir a compra de pequenos implementos agrícolas.

No total, o cartão BNDES somou 422 mil operações no ano passado, em valores que chegaram a R$ 5,6 bilhões em financiamentos, queda de 50% em relação aos desembolsos de 2015. O montante representou 6,3% do total de desembolsos do banco em 2016, de R$ 88,3 bilhões. Ramos disse que o desempenho do cartão vai crescer pelas maiores possibilidade de uso, em várias plataformas, e também pela melhoria da economia. Existem hoje mais de 700 mil empresas cadastradas no cartão BNDES.

Preencha os campos ao lado e receba nossas notícias:

Rua Visconde do Rio Branco, 1488 - 18º andar – Centro – Curitiba/PR

© 2012 Museu do Cartão - Todos os direitos reservados - Powered By Totalize Internet Studio