Museu do Cartão de Crédito

25/11/2016 - Palco global

« Voltar

Por Roger Marzochi | IstoÉ Dinheiro

Parecia uma festa no Vale do Silício, região dos Estados Unidos que concentra as mais importantes empresas de tecnologia e internet do mundo, na Califórnia. Centenas de convidados ouviram a mestre de cerimônia, a apresentadora global Fernanda Lima, chamar o anfitrião ao palco. Vestindo uma camisa preta e uma calça jeans, ao estilo de Steve Jobs, um dos fundadores da Apple, o empresário gaúcho José Renato Hopf anunciou a 4all, uma plataforma que reúne 70 funcionalidades em apenas um aplicativo. “Nosso objetivo é conectar tudo”, afirmou José Renato, como ele é conhecido, em um evento no começo de novembro, em Porto Alegre. “A nossa ambição é global.”

A 4all é a nova tacada de José Renato, empresário que ficou nacionalmente conhecido por fundar, em 2003, a GetNet, uma empresa de meios de pagamentos que concorria com Visa e Mastercard. Onze anos depois, ele a vendeu por R$ 1,1 bilhão para o banco Santander. Começou o negócio com nove pessoas e quando a vendeu para o Santander, a GetNet faturava R$ 3,2 bilhões e empregava 4 mil funcionários. Aos 47 anos, o empreendedor poderia ter uma vida tranquila em sua casa na praia, em Xangri-lá, a 130 quilômetros de Porto Alegre.

Lá, ele se considera um pequeno produtor rural, com uma plantação de hortaliças, limões e até morangos. “Vão dizer: por que não parou?”, pergunta José Renato. “O que mais gosto de fazer é empreender.” Diferentemente do que fez com a GetNet, a 4all é uma startup que nasce grande, tanto em números, como em ambição. Já na largada, a empresa conta com 100 funcionários e está contratando outros 50 – o empresário não confirma os números, nem fornece informações sobre investimentos. Na semana passada, a marca foi estampada na camisa do Grêmio, que venceu a primeira partida da final da Copa do Brasil contra o Atlético Mineiro.

Estima-se que o patrocínio custou R$ 350 mil. Sobre os planos, o empreendedor diz que focará em Porto Alegre neste início, depois se voltará para outras cidades brasileiras em 2017. No radar estão São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte, Salvador, Belém, Fortaleza e Recife. Ele diz também que a meta é avançar para a América Latina e Estados Unidos em 2018. Sua estratégia, neste caso, será buscar parceiros locais. “Abrimos o mercado de cartões com a GetNet. Agora, vamos revolucionar o mercado digital”, diz José Renato.

Mas o que é exatamente a nova aposta de José Renato? A 4all pode ser considerada um marketplace de aplicativos. Ao todo, a plataforma possibilita que o mesmo aplicativo tenha, no mínimo, 70 funcionalidades diferentes em oito segmentos: alimentação, educação, estacionamentos, turismo, entretenimento, saúde, esporte e mobilidade urbana. É possível também integrar aplicativos de terceiros, como o de táxi Cabify ou o de trânsito Waze. Além do aplicativo, a ideia de José Renato é vender a plataforma para empresas, no estilo de white label, em que a empresa usa o aplicativo, mas estampa seu nome. O primeiro cliente nessa modalidade é o Shopping Total, de Porto Alegre.

Por meio do sistema, o cliente pode pagar o estacionamento, recarregar o bilhete de transporte público, pedir táxi e comida, entre outras funções. Em dezembro, Grêmio anunciará também o seu aplicativo nesses moldes. Até março de 2017, quatro universidades no Rio Grande do Sul também devem adotar a solução de José Renato. “O Zé Renato está antecipando o futuro”, diz Fernando Stein, CEO da Indigo, gestora de estacionamentos, presente em 17 países, e cliente da 4all. “É uma pessoa que tem uma visão do mundo digital que poucos empresários têm.” Filho de militar, Zé Renato aprendeu desde muito cedo a importância da disciplina. Ele começou sua trajetória como programador do Barinsul.

Tornou-se um dos principais líderes do processo de implantação do Barincompras, o cartão de crédito e de débito do banco estadual gaúcho na década de 1990. Com sua experiência na área financeira, vislumbrou um novo mercado. Como os sistemas de débito e crédito eram dominados pelo duopólio da Visa e da Mastercard, que obrigavam o comerciante a usar duas máquinas, Zé Renato pensou em uma empresa que pudesse aceitar todas as bandeiras de cartões. Foi assim que surgiu a GetNet, que cresceu e se transformou numa rival nacional das duas gigantes internacionais. Agora, com a 4all, o palco que José Renato quer se apresentar é global.

O jardim de Zé Renato

Saiba mais sobre o fundador da GetNet e da 4all:

  • Idade: 47 anos
  • Formação: É graduado em Administração de Empresas pela PUC-RS. Tem especialização em Sistema de Informação e Telecomunicações pela UFRGS e MBA em Gestão Empresarial pela FGV
  • Hobbies: Cultivar vegetais, hortaliças e jogar tênis
  • Carreira: Começou como programador do Barinsul até ser um dos principais líderes da implantação do Barincompras, cartão de débito e crédito do banco estadual
  • Empreendimentos: Criou a GetNet em 2003, vendendo-a para o Santander, em 2014, por R$ 1,1 bilhão. Em 2016,  lançou a plataforma 4All, que integra 70 funcionalidades em um aplicativo para empresas unirem o mundo digital ao real
  • Dicas para criar startups: Ter um sonho factível, reunir um grupo de empreendedores, conseguir investidores que orientem a empresa, ter resiliência e disciplina

Preencha os campos ao lado e receba nossas notícias:

Rua Visconde do Rio Branco, 1488 - 18º andar – Centro – Curitiba/PR

© 2012 Museu do Cartão - Todos os direitos reservados - Powered By Totalize Internet Studio