Museu do Cartão de Crédito

12/08/2016 - Bancos disputam clientes e diversificam parceiros

« Voltar

Por Roseli Loturco | De São Paulo | Valor Econômico

Na disputa pela diversificação de produtos e serviços que contam pontos para os clientes vale tudo. De visita a estande de vendas de incorporadoras a comentários em site de viagens que pontuam no programa de fidelidade. De olho nisso, os bancos, que representam o mais forte canal de potencialização desse mercado, disputam à unha o cliente do cartão de crédito e se aliam a quem oferecer os melhores benefícios a eles.

"Vejo essa tendência com bons olhos para o consumidor, que deve pesquisar qual é a melhor opção para o seu perfil", avalia Adalberto Belluomini, professor da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV).

Além da pontuação que cresce conforme a quantidade de estrelas do cartão - ditada pelo volume transacionado no plástico -, a instituições tornaram-se ativas na diversificação e parcerias estabelecidas com empresas não só do setor de fidelidade, mas também de outras indústrias.

O Itaú Unibanco vê nessas parcerias uma capacidade de agregar maior valor aos seus clientes. Com o objetivo de atingir principalmente o público de maior renda, que vai do uniclass ao private, o banco estuda a dinâmica de uso do cartão e da renda para oferecer além de pontos - que varia de um a dois pontos por dólar gasto -, desde meia-entrada em cinema e teatro até uso de pontos com cartões exclusivos de montadoras como a Fiat para compra de peças e carros. "Estamos apostando na emissão de cartões exclusivos com várias empresas. O próximo será com a Multiplus e terá gestão compartilhada", afirma Marcos Magalhães, diretor de cartões do Itaú Unibanco, que faturou R$ 62,9 bilhões com o cartão de crédito no segundo trimestre de 2016.

O executivo explica que nessas parcerias as empresas participam ativamente oferecendo promoções aos clientes que são fiéis aos seus produtos. Mas admite que a grande maioria ainda prefere trocar pontos por passagens aéreas, daí a importância de estar ligado a essas companhias para obter benefícios nessa relação.

Com programa de fidelidade desde 2009, o Bradesco se uniu mais uma vez ao Banco do Brasil para criar a Livelo em junho deste ano e ter a sua própria empresa de fidelidade e de coalisão, com múltiplas ofertas e parceiros.

"A originação dos pontos continuará dentro dos bancos, mas a administração dos pontos será feita pela Livelo", explica Cesário Nakamura, diretor de cartões do Bradesco. O cliente, neste caso, terá a chance de somar os pontos se possuir cartão nas duas instituições com os obtidos nas promoções das empresas parceiras. A pontuação no Bradesco pode chegar a 2,2 pontos por dólar nos cartões mais sofisticados. Mas ela não vem de graça. A anuidade desses cartões varia de R$ 850 a R$ 1,2 mil. "Na linha American Express existe ainda a vantagem de os pontos não expirarem e dão direito a salas VIP nos aeroportos, seguro bagagem, agências de viagens exclusivas, entre outros", indica Nakamura.

Além de operar nas linhas de cartões tradicionais do mercado, o Santander garante que irá modernizar o mercado de cartões com lançamento de produto no segundo semestre dentro de seu programa de fidelidade. "Meu objetivo é eliminar de vez o tempo para a expiração dos pontos", indica Rodrigo Cury, superintendente executivo de cartões do banco.

O Santander possui 300 parceiros e também oferece descontos em lojas, cinemas, táxi e supermercados. "Hoje temos um arsenal de informações sobre o cliente e devemos usar de forma inteligente para oferecer mais benefícios. Senão ele muda de banco", considera Cury, que diz possuir perto de 13% de participação no mercado de cartões no país.

Preencha os campos ao lado e receba nossas notícias:

Rua Visconde do Rio Branco, 1488 - 18º andar – Centro – Curitiba/PR

© 2012 Museu do Cartão - Todos os direitos reservados - Powered By Totalize Internet Studio