Museu do Cartão de Crédito

29/06/2016 - Cartão ajuda finanças corporativas

« Voltar

Por Danylo Martins | Para o Valor, de São Paulo

Geralmente considerado vilão das pessoas físicas por conta dos juros altos no rotativo, o cartão de crédito serve de aliado para o controle financeiro das empresas. Não à toa os grandes bancos enxergam o nicho com bons olhos. E em período de crise, cuja regra básica é a contenção de gastos, esse meio de pagamento tem ganhado ainda mais força no ambiente corporativo. No Banco do Brasil, o número de companhias usuárias do Ourocard Corporativo saltou cinco vezes entre 2013 e este ano. No mesmo período, segundo o banco, o faturamento desse tipo de cartão cresceu 37% em volume.

"O crescimento do uso desse tipo de cartão está diretamente relacionado ao aprimoramento dos processos de gestão e governança nas empresas", destaca Rogério Panca, diretor de meios de pagamento. Além do plástico em si - que tem anuidade de R$ 144 - o principal produto do BB voltado a esse público oferece relatórios para que os gestores consigam monitorar as despesas. O detalhamento se traduz em eficiência operacional, diz o executivo. "Isso ocorre por meio da eliminação de adiantamentos de dinheiro, controle eficaz do fluxo de caixa, além de maior poder de negociação com fornecedores".

O banco disponibiliza também um programa de fidelidade, cujos pontos podem ser transferidos para parceiros de companhias aéreas ou trocados por prêmios. O portfólio da instituição conta, ainda, com cartões virtuais para pagamento de despesas em hotéis ou compra de passagens aéreas. Com a modalidade, é possível gerenciar todas as viagens a partir de relatório on-line, que inclui não apenas informações financeiras - como valor dos bilhetes -, mas também dados sobre trajeto e local de hospedagem.

O cartão de crédito corporativo é uma ferramenta que ajuda a tornar os processos de gestão mais transparentes, defende Andréia Mariano, superintendente executiva do Bradesco Cartões, divisão do banco responsável por oferecer soluções a mais de 72% das 500 maiores companhias no Brasil. Segundo cálculos a partir da base de clientes, o cartão de crédito pode trazer redução de custos de até 30% às empresas. "Por meio de relatórios ou da integração de dados com os sistemas de ERP, os gestores conseguem determinar com clareza de que forma os gastos são feitos", afirma.

Andréia aponta a flexibilidade como outro diferencial da linha de cartões corporativos do Bradesco. "O departamento de marketing pode contar com um produto específico para pagamento de eventos", diz. Para ajudar nessa customização, o banco possui uma equipe de relacionamento e prospecção com mais de 70 pessoas dedicadas aos clientes pessoas jurídicas. Entre os benefícios, algumas versões dos cartões oferecem acesso a salas VIP em aeroportos como Congonhas e Guarulhos (SP), Santos Dumont (RJ) e Recife (PE).

No Santander, a demanda por esse meio de pagamento também tem crescido. "Registramos um aumento significativo da procura por esse tipo de produto, principalmente para médias empresas, que usam a ferramenta para gestão de adiantamentos e reembolsos", conta Rodrigo Cury, superintendente executivo de cartões do Santander. Disponível para clientes com faturamento superior a R$ 200 milhões, o plástico ajuda a simplificar e reduzir os processos administrativos, assim como possibilita o acesso à rede de benefícios Santander Esfera.

O reforço no atendimento é outra estratégia do Santander, principalmente no pós-venda. "Os representantes legais das empresas contam com uma central de atendimento específica e um gerente de relacionamento específico para cartões", diz Cury. Além disso, uma equipe fica responsável pelo treinamento e suporte às ferramentas de gestão. No portfólio da instituição também há cartões destinados ao pagamento de hospedagem ou à compra de passagens aéreas nacionais e internacionais.

"Despesas com viagens e representações em uma grande empresa são consideradas a segunda maior categoria de gastos controláveis e podem ser administradas por meio de um cartão corporativo", assinala Rocío Velarde, vice-presidente de produtos corporativos do Citi. A família de cartões disponíveis para pessoas jurídicas é aceita em mais de 35 milhões de estabelecimentos no mundo. Para gastos com frota, eventos em geral e outras despesas, o Citi disponibiliza o Purshasing Card. O banco também dispõe de um produto para reservas de hotéis e outro para aquisição de passagens aéreas.

Os cartões de crédito corporativos podem ser usados por qualquer funcionário, independentemente do nível hierárquico. Segundo os bancos ouvidos, a companhia define quais colaboradores terão acesso a esse meio de pagamento, assim como os tipos de gastos que serão realizados com o produto. "Algumas empresas determinam que o cartão só possa ser usado em viagens. Já outras utilizam para compra de materiais de escritório", exemplifica Marcos Magalhães, diretor da área de cartões do Itaú Unibanco. No universo corporativo, o banco também aposta em soluções sob medida.

Preencha os campos ao lado e receba nossas notícias:

Rua Visconde do Rio Branco, 1488 - 18º andar – Centro – Curitiba/PR

© 2012 Museu do Cartão - Todos os direitos reservados - Powered By Totalize Internet Studio