Museu do Cartão de Crédito

09/12/2014 - Renner e BI&P fecham parceria em cartões

« Voltar

Por Fabiana Lopes | De São Paulo | Valor Econômico

O Banco Indusval & Partners (BI&P) e a Lojas Renner vão unir forças numa operação de emissão e gestão de cartões de crédito para os clientes da varejista. Na parceria, que envolve uma carteira já existente de R$ 285 milhões, o banco cuidará da emissão das bandeiras Visa e Mastercard, enquanto a Renner ficará responsável pela oferta, comercialização e relacionamento com os clientes.

Segundo o vice-presidente de produtos e comercial do BI&P, André Mesquita, pelo desenho, o resultado da parceria ficará com o banco, com a garantia de uma rentabilidade mínima sobre o capital envolvido em percentual definido em contrato. Essa fatia não foi divulgada, mas o valor será calculado após todas as despesas como custos de captação, impostos, despesa de provisão para créditos de liquidação duvidosa e demais despesas diretas e indiretas.

A Renner, por sua vez, ficará com uma comissão para executar a linha de frente da operação, numa estrutura similar à acordada entre os grandes bancos de varejo e os correspondentes bancários.

Desde a década de 70, a Renner conta com um cartão com marca própria e foi um dos poucos casos entre as grandes redes de varejo que sempre preferiu operar sem um banco parceiro, mesmo quando passou a emitir cartões Visa e MasterCard. A varejista, porém, se viu forçada a interromper a carreira solo para atender ao Banco Central (BC), que tornou-se regulador do setor de cartões em 2013.

Isso porque o BC agora exige que quem emite cartões de grandes bandeiras constitua uma instituição de pagamentos - processo que envolve uma série de custos com sistemas, como contra lavagem de dinheiro. Para evitar pagar essa conta, a Renner foi buscar um acordo operacional com um banco.

A parceria começou a ser costurada em outubro. Segundo Laurence Gomes, diretor financeiro e de relação com investidores da Lojas Renner, a varejista já havia conversado com outros bancos. "O Indusval foi o banco que concordou e entendeu a nossa estratégia", explicou. "Não há conflito de interesse porque não é um banco voltado para a área de varejo", explica.

Para o BI&P, o acordo faz parte dos planos da instituição de estabelecer parcerias em diversos segmentos que possam trazer rentabilidade, a exemplo do que já ocorreu com a Gran Viver na área imobiliária e a Ceagro, no agronegócio. "O banco começou há dois anos a trabalhar um conceito de parcerias. Nós não estamos entrando no varejo, nós estamos fazendo parcerias no varejo", diz Mesquita, ressaltando que a instituição continua com sua estratégia voltada a empresas.

Apesar de não entrar no segmento, o risco das operações com os clientes da Renner fica com o banco. Mas Mesquita assegura que a instituição está confortável com isso por acreditar no negócio da Renner e também porque a instituição tem rentabilidade mínima estabelecida.

Gomes, da Renner, diz que o risco dessas operações é baixo porque a ideia é oferecer os cartões Mastercard e Visa para clientes do cartão de marca própria da varejista - sem bandeira -, que já têm um bom histórico com a companhia. "A ideia é converter 25% da base de clientes ativos do cartão Renner", diz, sem, no entanto, precisar em quanto tempo essa migração ocorreria. Atualmente, são 23,7 milhões de cartões de marca própria e 2 milhões de cartões com a bandeira Mastercard ou Visa.

Os cartões bandeirados - carteira de R$ 285 milhões - geraram receita de R$ 35,9 milhões no terceiro trimestre e as perdas líquidas sobre a carteira total foram de 5%. A Renner afirma que a expectativa é reduzir esse percentual de perdas, uma vez que o cartão, relançado em 2013, ainda está em fase de maturação.

A parceria, entre BI&P e Lojas Renner terá dois anos de duração e poderá ser renovada. (Colaborou Felipe Marques)

Preencha os campos ao lado e receba nossas notícias:

Rua Visconde do Rio Branco, 1488 - 18º andar – Centro – Curitiba/PR

© 2012 Museu do Cartão - Todos os direitos reservados - Powered By Totalize Internet Studio