Museu do Cartão de Crédito

03/07/2014 - Cielo se une a Smiles em programa de fidelidade

« Voltar
 
Por Felipe Marques | De São Paulo
 
A credenciadora de cartões Cielo anunciou ontem parceria com a gestora de programas de fidelidade Smiles, que vai permitir o acúmulo, o resgate e a consulta de milhas do programa da companhia por meio das máquinas da Cielo. A parceria pode alcançar toda a rede de 1,4 milhão de estabelecimentos atendidos pela credenciadora no Brasil, de acordo com comunicado divulgado ao mercado.
 
Graças à parceria, os clientes Smiles que realizarem pagamentos com cartão na máquina da Cielo vão acumular milhas automaticamente. Isso vale para qualquer modalidade de pagamento - débito, crédito ou vale-alimentação e refeição (voucher). Os clientes também poderão consultar o saldo de milhas e resgatá-las por produtos e serviços via a maquininha da Cielo. Para quem não é cliente Smiles, será necessário um cadastro prévio no site da companhia.
 
Para que isso seja possível, o lojista precisa aceitar fazer parte do programa. A Cielo vai começar a cadastrar o varejo no segundo semestre, informa o comunicado.
 
"Para o cliente da Cielo [o lojista], a principal vantagem é aumentar a frequência, o ticket médio e a fidelização de seus consumidores", afirma a Cielo. "Além disso, ao usufruir da plataforma tecnológica da credenciadora, a parceria irá simplificar o processo de utilização do Smiles, já que o consumidor poderá, no ato do pagamento, acumular milhas automaticamente."
 
Em 2010, a Rede (então Redecard) e a Multiplus, rival da Smiles, anunciaram uma parceria semelhante, que valia apenas em alguns estabelecimentos.
 
A parceria com a Smiles é a mais recente na lista de alianças que a Cielo vem anunciando na perspectiva de que a competição no setor de cartões vá se acirrar. No começo de junho, a empresa anunciou a intenção de se juntar a Linx, empresa de automação comercial para o varejo, para lançar um pacote mais robusto de sistemas de gestão para o varejo que incluam os produtos da credenciadora.
 
As ações da Cielo fecharam ontem com recuo de 3,59%, cotadas a R$ 44, na segunda maior queda do Ibovespa. Na visão de analistas, tratou-se de uma realização de lucros com os papéis da credenciadora.
 
Em maio, Bradesco e Banco do Brasil, os controladores da Cielo, anunciaram a criação da Livelo, também para gestão de programas de fidelidade, concorrente da Smiles. A expectativa é que ela esteja em operação em 18 meses.
 
 
Fonte: Valor

Preencha os campos ao lado e receba nossas notícias:

Rua Visconde do Rio Branco, 1488 - 18º andar – Centro – Curitiba/PR

© 2012 Museu do Cartão - Todos os direitos reservados - Powered By Totalize Internet Studio